Manuel Gama (Investigador Responsável); José Gabriel Andrade (Investigador Co-Responsável)

2020

Preencha o questionário - Quem sois vós, públicos?

Quem sois vós, públicos?

Por ocasião do centenário da abertura do Teatro São João projetado pelo arquiteto Marques da Silva, e volvidos 27 anos sobre a sua aquisição por parte do Estado e inauguração como Teatro Nacional São João (TNSJ), 20 anos após o estudo de públicos coordenado por Maria de Lourdes Lima dos Santos e 12 anos da integração do TNSJ no setor empresarial do Estado, entende-se como oportuna e necessária a realização de um novo estudo de públicos do TNSJ.

Mais importante do que assinalar uma efeméride, o “Estudo de Públicos no Centenário do Teatro Nacional S. João” revela-se da maior importância uma vez que:

  1. prosseguindo fins de interesse público, o TNSJ tem por objeto a prestação de serviço público na área da cultura teatral, nomeadamente, através da “abertura do teatro à comunidade, captando e formando novos públicos”, sendo que para o cumprimento dessa dimensão do serviço público se torna fundamental um conhecimento atualizado dos seus públicos e dos seus públicos potenciais;
  2. analisando os Relatórios de Exercício do Conselho de Administração do último triénio (2015, 2016 e 2017), é possível observar, por um lado, que o público alcançado pelo TNSJ nas suas múltiplas atividades, dentro e fora de portas, tem sofrido flutuações significativas (115.463 no ano de 2014, 106.641 no ano de 2015, 70.691 no ano de 2016 e 142.283 no ano de 2017) e, por outro, que, nos mesmos documentos, os dados relativos aos públicos, nomeadamente no que concerne aos seus perfis, são, regra geral, circunstanciais;
  3. lançando um olhar sobre a realidade dos públicos de teatro a nível nacional, é inegável que se destaca um aumento do número médio de espetadores por sessão teatral (121,3 no ano de 1992 para 194,8 no ano de 2017), mas convém não esquecer, por um lado, que em 1960 o número homólogo era de 407,7 por sessão e, por outro lado, que 52% dos portugueses com mais de 16 anos afirmaram que, em 2015, não assistiram a nenhum espetáculo ao vivo;
  4. afirmando-se como um Teatro Nacional a Norte, o TNSJ excede, como é evidente, a sua área de influência para além da cidade onde se encontra a sua sede social e, por isso, a entidade pode e deve ter um papel importante na formação de novos públicos para o teatro a nível nacional, realça-se contudo que, não obstante estarem implícitos nas 10 ideias em que vai assentar o serviço público de excelência que o TNSJ quer prestar na próxima década, a verdade é que nenhuma das 10 ideias se centra explicitamente nos públicos e que, em todo o documento apresentado a 7 de março de 2020, as referências explícitas aos públicos do TNSJ são residuais;
  5. retirando algumas investigações realizadas com a finalidade principal de obtenção de graus académicos (mestrado ou doutoramento) e de alguns estudos de grandes eventos culturais, de organizações e de municípios em particular, a análise dos públicos da cultura ainda não é uma prática ancorada em Portugal, sendo que, ao contrário da área dos museus que foi recentemente alvo de vários estudos de públicos, na área do teatro os estudos ainda são mais escassos e desatualizados.

Com este pano de fundo, e para permitir um conhecimento atualizado, multidimensional, consistente e sustentado dos públicos do TNSJ, uma equipa multidisciplinar do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade encontra-se a realizar, no âmbito do Observatório de Políticas de Comunicação e Cultura (POLObs), o “Estudo de Públicos no Centenário do Teatro Nacional S. João”, que decorre até julho de 2021.

Para além de apresentar o perfil dos públicos que uma investigação desta natureza implica obrigatoriamente, este trabalho incluiu uma dimensão de análise centrada nas comunidades académicas do ensino superior da região Norte de Portugal (enquanto públicos potenciais naturais do TNSJ) e uma outra dimensão relacionada com a comunicação estratégica do TNSJ (procurando identificar alguns dos seus impactos para o diálogo, o envolvimento, a fidelização, a captação e a formação de públicos).

 

Crédito da imagem: Teatro Nacional de S. João