PolObs assinala 6º aniversário da Agenda 2030 com propostas para a Década da Ação

Com a participação de representantes de entidades culturais e instituições educacionais de todas as regiões do Brasil, o Observatório de Políticas de Ciência, Comunicação e Cultura da Universidade do Minho (PolObs/CECS) debateu, na tarde de sábado (25), contributos e ideias para o setor cultural a serem desenvolvidos na Década da Ação. O evento assinalou o 6º aniversário da implementação da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável pelas Nações Unidas.

A Agenda 2030 é um plano de ação com um novo modelo global para acabar com a pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar das pessoas e combater as alterações climáticas do planeta, constituída por 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e 169 metas.

O seminário “6 ideias culturais para a Agenda 2030 na Década da Ação” integra  o projeto “Cultura e Desenvolvimento: Projetos Culturais e a Agenda 2030”. O investigador responsável pelo projeto, Manuel Gama, coordenou o seminário com a discussão de iniciativas já desenvolvidas em território brasileiro.

A sessão resultou em seis ideias para o setor cultural a serem desenvolvidas na Década da Ação:

1- dinamização de projetos que promovam a valorização da cultura popular;

2- produção de um programa de rádio com foco na divulgação de projetos culturais que tenham a Agenda 2030 como diretriz de trabalho;

3- criação de redes de discussão que promovam a participação da sociedade civil nos processos de tomada de decisão;

4- criação de uma rede de agentes e organizações culturais  no Brasil que trabalhem com a Agenda 2030;

5- organização de uma rede de disseminação dos processos e apropriação da Agenda 2030 no setor cultural;

6- desenvolvimento de projetos estratégicos que potenciem uma governança adequada para o setor cultural.

Os seminários decorrem todos os meses com o debate de projetos e iniciativas realizadas no àmbito da Agenda 2030.